História – A longa sessão do impeachment de Dilma, há dois anos

Eduardo Cunha, então presidente da Câmara, cassado, processado e preso meses depois do impeachment
Plenário lotado durante toda a sessão

Após longa e tensa sessão — que começou, na verdade, dois dias antes, em 15 de abril, e acabou somando 53 horas de duração — o plenário da Câmara Federal, à época presidida por Eduardo Cunha, aprovou a aceitação do processo de impeachment de Dilma Rousseff. O “sim” pela adoção do processo obteve 367 votos. O “não”, 137. E as abstenções foram 7.

O pedido de impeachment oferecido pelo jurista Miguel Reale Jr foi aceito por Eduardo Cunha. Após o processo passar pela Comissão de Justiça da Câmara, chegava a hora de ser apreciado pelo plenário. A então presidente da República era acusada de ter editado decretos não previstos no Orçamento sem a devida autorização do Congresso, as chamadas pedaladas fiscais.

Miguel Reale defende o impeachment de Dilma da tribuna da Câmara. Foto Orlando Brito

A adoção na Câmara, porém, não afastou imediatamente do cargo a presidente Dilma. O processo obedeceu o rito previsto na Constituição, seguiu para votação no Senado, o que aconteceu em 31 de agosto, em sessão presidida pelo ministro Ricardo Lewandowski. O placar foi de 61 votos a favor do impeachment e 20 contra.

Antes, a senhora Rousseff compareceu ao plenário Senado para fazer ela mesma sua defesa perante os parlamentares. O ex-presidente Lula esteve presente, acompanhado por lideranças do Partido dos Trabalhadores para assistir a sessão das galerias. Com a aprovação do impeachment nas duas Casas do Legislativo, Dilma foi afastada. Em seu lugar no Planalto, assumiu o vice Michel Temer.

Dilma Rousseff discursa durante sessão do impeachment, no Senado
O voto de Tiririca
Deputados, OrlandoBrito19
Contra e a favor

Deputados, OrlandoBrito16

Heráclito e Lindbergh

SessaoImpeachment_10
A euforia do voto
Jovair, Jucá e Raully, OrlandoBrito
Hauly, Jovair e Jucá
OnyxLorenzoni, OrlandoBrito
Onix Lorenzzoni, do Rio Grande do Sul
SessaoImpeachment_11
Alessandro Molon, do Rio
SessaoImpeachment_13
Deputado Jacobo, de São Paulo
Luiz Hauli, Orlando Brito
Luiz Carlos Hauly, do Paraná
Nelson Marchezan_OrlandoBrito
Declaração de voto para os espectadores da tv
Geovania de Sá, OrlandoBrito
Geovânia de Sá, de Santa Catarina
SessaoAprovaImpeachment_17
Início da festa
SessaoAprovaImpeachment_16
Maria do Rosário
Deputados, OrlandoBrito4
Bancada do PT
Deputados, OrlandoBrito14
Deputado Pansera
Deputados, OrlandoBrito13
Afonso Florence, da Bahia
PauloMaluf, OrlandoBrito1
Paulo Maluf
RobertoJefferson, OrlandoBrito1
Roberto Jefferson
SessaoImpeachment_8
Já havia protestos conta Eduardo Cunha, que meses depois, foi preso
SessaoImpeachment_7
Atrito na mesa da presidência da Câmara
SessaoImpeachment_6
Discussão entre os contrários e os favoráveis ao impeachment
Jovair_SessaoImpeachment_1
Jovair Arantes, de Goiás
Deputados_SessaoImpeachment_1
Comemoração após a longa sessão
Deputados_SessaoImpeachment_2
Oposição protesta
Deputados, OrlandoBrito3
Pausa para o lanche. Onix Lorenzzoni e Mendonça Filho
Deputados, OrlandoBrito2
Caio Nárcio, de Minas
Manisfestantes1
Movimentação nas ruas de Brasília
Manisfestante2
Pose com o Congresso ao fundo na importante data
Congresso, Orlando Brito
O isolamento da Esplanada não permitiu concentração popular

nado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *