HELENA CHAGAS

Te cuida, Bolsonaro, porque a lua-de-mel será curta

Não há nada demais em fatiar a reforma da Previdência. Aliás, todas as aprovadas até hoje foram pedaços de projetos iniciais mais profundos, limados no debate no Congresso. A realidade cuida de fatiar. Só que o governo tem de mandar um projeto mais completo, como se nele acreditasse

HELENA CHAGAS

Falta de pressa na Previdência assusta mercado

Pelos cálculos de especialistas, a decisão de Bolsonaro e Onyx de recomeçar da estaca zero a discussão da Previdência, com a apresentação de um novo projeto, atrasará em pelo menos seis meses uma votação que poderia ocorrer ainda no primeiro semestre de 2019

HELENA CHAGAS

Ficha de Bolsonaro caiu: não dá para ignorar partidos

O presidente eleito sabe, com seus 28 anos de Casa, que não haverá outro jeito de formar uma maioria básica na Câmara sem capitular aos velhos hábitos. Como fazer isso sem perder o discurso de acabar com o toma-lá-dá-cá e incorrer no estelionato eleitoral que está todo mundo esperando é que são elas

HELENA CHAGAS

De Bolsonaro para o Congresso: Pessoal, encolhi a política!

A nomeação de Santos Cruz reforça o time dos militares no voleizinho da hora do almoço no Planalto: agora, serão três a cercar o presidente da República (Santos Cruz, o general Heleno e o vice Hamilton Mourão) na rotina palaciana, contra dois civis (Onyx Lorenzoni, na Casa Civil, e Gustavo Bebianno, na Secretaria Geral)

HELENA CHAGAS

Brasil no meio da guerra fria entre EUA e China pelo monopólio da espionagem

O curioso é que os Estados Unidos, que já baniram a Huawei de suas relações comerciais, acusam os chineses de supostamente fazer o que eles fizeram, nos idos de 2013, quando foi revelado que a NSA espionava inclusive autoridades de outros países – como a ex-presidente Dilma Rousseff e a primeira ministra alemã Angela Merkel – coletando dados através das grandes redes de telecomunicações

HELENA CHAGAS

Mudanças no Planalto podem fortalecer Mourão e esvaziar Onyx

O general Mourão será o capitão? É esquisita essa hipótese, que pressupõe que ele tenha, de um dia para o outro, conquistado a confiança integral do presidente eleito – que disse que tinha pouca convivência com o vice quando ele cometeu gafes como pregar a elaboração de uma nova Constituição sem constituinte e chamou o 13o salário de jabuticaba